Novidades do setor de energia

insumos de uma empresa

O que são os insumos de uma empresa? Como gerenciá-los?

Para manter um negócio operando adequadamente, é preciso que os insumos de uma empresa sejam gerenciados de maneira estratégica e que os fornecedores tenham recursos de qualidade.

Normalmente, algumas dúvidas surgem a respeito desse assunto, como quais são os principais insumos de uma empresa, qual a diferença entre insumos e matéria-prima, assim como controlar melhor os recursos para reduzir custos para o negócio.

Abordaremos a seguir cada um desses pontos. Confira!

O que são insumos de uma empresa?

Os insumos de uma empresa são todos os materiais utilizados para produzir um item ou prestar um serviço, mas não precisam fazer parte do produto final em si. São três principais tipos de insumos:

  • natural: como água e energia, normalmente relacionado à matéria-prima;
  • trabalho: como mão de obra, ferramentas e máquinas;
  • capital: como o dinheiro investido na produção.

Recursos para o dia a dia, como materiais de escritório, itens de higiene e limpeza, e alimentos, não entram nessa classificação. Esses são produtos utilizados na rotina de trabalho, mas não agregam nada ao produto em produção.

Em resumo, os insumos estão diretamente relacionados ao processo de produção do produto da empresa, mesmo que não façam parte dele. Isso ficará mais claro a seguir, em que explicaremos a diferença entre insumo e matéria-prima.

Qual a diferença entre insumo e matéria-prima?

Normalmente, insumo e matéria-prima são tratados como sinônimos, mas o fato é que ambos têm diferenças fundamentais, o que impacta tanto a operação do negócio quanto o fluxo de caixa da empresa.

A matéria-prima é o material agregado ao produto, ou seja, é utilizado para ele ser fabricado e é uma parte do item final. Uma mesa de escritório tem a madeira como matéria-prima, por exemplo, assim como um computador tem o cobre como uma de suas várias matérias-primas.

Uma matéria-prima pode ser animal, mineral ou vegetal, assim como pode ser usada em sua forma original ou transformada. A própria madeira do exemplo anterior não é aproveitada em sua forma original, passando por cortes e envernizamentos, por exemplo, antes de se tornar peça de uma mesa.

Ou seja, toda matéria-prima também é um insumo, mas não necessariamente todo insumo é uma matéria-prima

Dicas para controlar insumos e reduzir custos

Conhecer quais são os principais insumos de uma empresa é essencial para a administração e desenvolvimento de um negócio, pois afeta a gestão de pessoas, o orçamento e o fluxo de produção da companhia.

O fato é que tanto os insumos quanto as matérias-primas têm um grande peso nas finanças de uma empresa, sendo crucial conhecer alternativas para fazer uma melhor administração desses recursos, assim como opções para reduzir custos.

Veja abaixo algumas dicas importantes para você.

Tenha uma estrutura de gerenciamento de estoque de insumos

O primeiro passo para controlar os seus insumos é fazer um acompanhamento adequado do estoque que sua empresa tem. É preciso manter o equilíbrio: ter recursos suficientes para manter o processo em andamento, mas sem deixar material parado, pois isso também é sinônimo de “dinheiro estocado”.

Então, invista em um inventário e mantenha-o atualizado — inclusive, existem inúmeros recursos para automatizar esse acompanhamento. O importante é ter clareza sobre todos os insumos disponíveis para o seu negócio e saber fazer projeções quando for necessário realizar novas compras.

Invista em pessoas responsáveis pelo setor de compras da empresa

Ter profissionais especializados e focados no setor de compras te poupará de muita dor de cabeça, visto que eles têm a experiência necessária para gerenciar os insumos, negociar com fornecedores, fazer o planejamento do fluxo e demais atividades relacionadas à manutenção desses recursos.

Dica: é válido investir em ferramentas para otimizar o trabalho desses profissionais, como softwares de planejamento, controle de estoque, cálculos e registros.

Veja aqui o que é e como fazer a gestão de compras nas empresas.

Entenda a relação insumos vs. fluxo de caixa

O controle de insumos de uma empresa está diretamente relacionado ao fluxo de caixa do negócio. Como eles são responsáveis por grande parte dos custos de uma organização, qualquer aquisição gera um impacto financeiro.

Por isso, é preciso saber exatamente quais são os recursos que sua empresa necessita para operar, qual é a recorrência ideal de compra, estudar os melhores fornecedores e parceiros, assim como fazer projeções mais assertivas com base nos dados de consumo de anos anteriores.

Dessa forma, você mitiga riscos e ainda consegue reduzir custos, mantendo o orçamento da empresa dentro do esperado.

Tenha bons fornecedores e preserve a relação com eles

Falando em reduzir custos e cotação de fornecedores, outra dica crucial é ter bons parceiros de negócio. Afinal, o que vai garantir o fornecimento dos insumos são justamente os fornecedores, como o próprio nome já diz.

Então, seja criterioso ao escolher empresas, analise a qualidade dos recursos fornecidos, o custo-benefício, os prazos, e negocie sempre. Além disso, mantenha uma boa relação com aqueles que já prestam um serviço satisfatório, pois isso vai ajudar a manter o processo funcionando sem atritos.

Aprenda mais estratégias para aumentar o saving em compras e conseguir uma economia de custos vantajosa nas aquisições da sua empresa. Confira todas as dicas no e-book ‘Como aumentar o saving em compras’, disponível para download gratuitamente!

ebook-saving

Leia também: 7 ideias de redução de custos na indústria

Já considerou trocar o seu fornecedor de energia?

Até aqui você pôde entender o que é insumo, quais são os principais tipos que existem, além de dicas para controlá-los e reduzir custos. Considerando que a energia é um insumo vital de uma empresa, você sabia que é possível escolher o seu fornecedor?

O setor elétrico brasileiro é segmentado em dois ambientes: o Ambiente de Contratação Regulada (ACR) e o Ambiente de Contratação Livre (ACL), que é o Mercado Livre de Energia.

Nele os consumidores negociam preços, prazo, volume e forma de pagamento diretamente com as geradoras ou comercializadoras de energia elétrica. Os preços são muito competitivos e é possível alcançar até 35% de redução de custos com energia elétrica.

É preciso atender a alguns requisitos mínimos para negociar energia, como se enquadrar na categoria de Consumidor Livre, Consumidor Especial ou Comunhão, e ter uma demanda mínima contratada.

No vídeo abaixo mostramos todos os detalhes sobre como funciona o Mercado Livre de Energia e quem pode migrar:

Quer saber mais? Aqui explicamos como migrar para o Mercado Livre de Energia em 10 passos.

Esfera Energia é referência nacional em Gestão de Energia no Mercado Livre de Energia. Atendemos mais de 130 grupos empresariais, gerenciamos mais de 400 ativos e estamos presentes em 22 estados. 

Fale com um consultor agora mesmo e saiba como adquirir esse insumo.

Saiba tudo sobre o Mercado Livre de Energia