Aconteceu em Janeiro: A falta de chuvas e o acionamento das térmicas

O ano de 2020 apresentou um período de chuvas abaixo da média principalmente no Sudeste/Centro-Oeste e no Sul do país, resultando em níveis críticos dos reservatórios, que levaram o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) a autorizar o despacho por usinas fora da ordem de mérito a partir de 17/10/2020 e importar energia da Argentina, Paraguai e Uruguai, visando a redução do despacho hidráulico e, consequentemente, “salvar” água nos reservatórios.

Os gráficos abaixo, apresentam o comportamento dos reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste e Sul em 2020 em comparação com o máximo, mínimo e médio histórico desde 1996.

Nossas estimativas preveem um nível aproximado de 24% para o final de Janeiro no SE/CO o que ainda é um nível ruim, quando comparado ao histórico, e inferior ao observado em 2020, que fechou janeiro em 25,1%.

Para o Sul, devido às fortes chuvas dos últimos dias, a expectativa é que feche o mês de Janeiro próximo de 45%, o que traz indícios que a Geração Fora da Ordem de Mérito (GFOM) e a importação podem cessar a qualquer momento.

A decisão de manutenção ou não do GFOM e importação é exclusiva do CMSE, que vem semanalmente realizando suas reuniões e definindo pela manutenção. Entretanto essa decisão pode mudar a qualquer momento, desde que o comitê defina que o sistema não corre mais risco.

O gráfico abaixo ilustra a quantidade de energia despachada por GFOM e a importação desde meados de Outubro. A contagem das semanas refere-se ao início da operação em 17/10/2020. 

Consequentemente, todo esse volume de energia, acabou virando encargo por segurança energética, como podemos observar abaixo em R$MM.

O volume total de energia nessas 16 semanas foi de ~4 GW médios, representando uma despesa até o momento de cerca de R$ 3,6 bilhões.

Custo que é rateado mensalmente por todo perfil de consumo na CCEE, resultando em um encargo em média de R$8,49/MWh em Outubro, R$19,35/MWh em Novembro (já contabilizados pela CCEE) e uma expectativa para Dezembro cerca de R$28,60/MWh.

Acompanhamento da Carga

Como de costume, o mês de janeiro iniciou com patamares baixos de carga em sua primeira semana, devido à ocorrência do feriado de ano novo. Já para as semanas seguintes, a carga retoma o patamar esperado, ficando entre os níveis observados em 2019 e 2020 para o mesmo período.

No geral, 2020 apresentou um fechamento acima do ano de 2019, apesar da crise sanitária instaurada pela Covid-19.

A carga ainda apresentou um aumento significativo de sua contribuição por parte do Ambiente de Contratação Livre (ACL) se comparado ao ano anterior.

Acompanhamento dos Reservatórios

Após o aumento das chuvas na região Sul do país, seus reservatórios esboçam uma recuperação acentuada que deve acontecer até meados de fevereiro.

Já na região Sudeste, os níveis de reservatórios permanecem críticos, porém o submercado já passou a apresentar uma tendência de recuperação, apesar de lenta, dos reservatórios no mês de Janeiro.

Tenha acesso à análises e estudos detalhados sobre o Mercado Livre de Energia, fale com um de nossos especialistas.

Confira como foi o comportamento do PLD horário no primeiro mês de vigência.

Janeiro foi marcado pela entrada do PLD horário, que finalmente entrou em operação no dia 1º, após ser postergado por alguns anos em decorrência de inconsistências na modelagem e problemas de execução 

Como era esperado, o PLD horário apresenta maior volatilidade e amplitude quando comparado a metodologia anterior, em decorrência da maior granularidade e menor intervalo de atualização das informações, que agora é diária.

O resultado mais  esperado com a entrada do PLD horário era o impacto da modulação dos preços sobre a curva de consumo, pois na metodologia anterior o PLD não apresentava grandes variações entre os patamares e portanto pouca diferença de preços no final de semana, período que não considerava o patamar pesado.

Com a discretização horária, a amplitude dos preços durante o dia se tornou elevada e a diferença entre os finais de semana e os dias da semana ficaram evidentes, em decorrência da carga.

O gráfico abaixo ilustra a amplitude do PLD horário até agora para o submercado SE/CO.

Na quarta-feira, dia 13 de janeiro, a diferença entre o valor máximo e mínimo dentro do dia chegou a incríveis R$56/MWh, saindo de R$298/MWh para R$354/MWh.

Outros dois fatos que também surpreenderam, como o pico de PLD na primeira hora do dia, e o descolamento do PLD SE/CO dos demais submercados, como segue no gráfico da curva do PLD para o dia 28 de Janeiro.

O descolamento no submercado Nordeste já era esperado em decorrência do número de parques de fontes intermitentes, solar e eólica. Já o descolamento do submercado SE/CO se deu em decorrência do limite de intercâmbio entre os subsistemas.

No geral, dependendo do perfil de consumo horário, consumidores que possuem contratos flat em termos de modulação terão uma percepção de PLD diferente da média simples publicada pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Aqueles que o perfil de consumo seguem na mesma linha que o consumo total do país, terão uma percepção de PLD acima da média, enquanto aqueles que conseguem reduzir seu consumo no horário de pico, podem usufruir do benefício de liquidações positivas das sobras e déficits horários.

No portfólio de unidades consumidoras da Esfera, cerca de 80% possuem consumo com perfil que segue o perfil do PLD e portanto tem uma percepção de PLD acima do médio, como segue no gráfico abaixo.

Um bom indicador do quão benéfico/maléfico é o perfil de consumo em relação ao PLD, basta calcular a correlação diária entre o PLD e o consumo, hora a hora.

Quanto mais negativo é a correlação, mais o consumo segue em direção oposta ao PLD, resultando em um índice que quanto mais negativo, melhor é a modulação da carga.

O PLD horário veio para ficar, apesar de alguns problemas de simulação e desvios de carga, se mostra mais aderente à realidade e fomenta a redução dos altos e baixos do consumo que faz com que haja uma capacidade de transmissão muito ociosa no sistema Brasileiro.

Esfera Energia é referência nacional em gestão de Energia no Mercado Livre de Energia e oferece consultoria para empresas durante todo o processo de negociação de energia.

Além disso, já estamos a par de todas as mudanças em relação ao PLD horário e preparados para te ajudar a garantir as melhores condições possíveis na contratação de energia.

Fale com um de nossos especialistas e veja como a Esfera pode te ajudar!